sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Será que é só comigo?

Toca meu despertador com algum mantra previamente escolhido. Acordo. Tiro a máscara e o tapa-ouvidos. Abro os olhos e não sei onde estou – afinal, desde 2005 dormi em mais camas diferentes que muita garota de programa. Levo algum tempo pra me achar. Jogo as pernas pro lado e me sento. Olho ao redor completamente sonzo. Saio da cama. Abro as cortinas para ver o dia, se for dia. Arrumo os lençóis, o travesseiro e o edredon. Cato meus óculos e o livro que estou lendo. Pego uma camiseta branca e uma boxer pra vestir depois do banho. Meus pés me arrastam pro banheiro. Passo reto pelo espelho pra não me achar mais velho do que estou. Penduro o short em algum gancho, levanto o assento da privada - o assento todo, não só a tampa - sento e começo a ler. Perco totalmente a noção da hora – isso desde pequeno. Sempre gostei de ler no banheiro e me esquecia do mundo. Minha mãe e meus primos sempre diziam que eu tinha o cú alfabetizado. Ponho os óculos e o livro de lado. Tiro a camisa com a qual dormi. Entro no box depois de achar a temperatura certa. Tomo banho com calma e medito no chuveiro... Alguns cantam, eu medito. Shampoo e sabonete. Cabeça, ombro, joelho e pé, joelho e pé, joelho e pé. Agarro a toalha e me enxugo sempre da mesma forma e no mesmo sentido. Saio seco – trauma de infância, de tanto levar esporro por molhar o banheiro todo. Finalmente me olho no espelho. É, não to mal !! Enrolo a toalha na cintura - porque faço isso não sei, moro sozinho, poderia simplesmente pendurá-la, tenho tentado, mas... hábitos são hábitos. Pego o creme de barbear e acabo usando-o como desodorante e aí me toco que to com o suvaco cheio de espuma. Passo a toalha. Pego o creme novamente e dessa vez o uso da maneira correta. Tento tirar a barba mas ainda estou meio sonzo de sono. A lâmina tá nova e arranco um naco do nariz. Logo depois outro desse meu impossível queixo redondo. Colo um pedaço de papel higiênico e pára de sangrar. Já estou acordado, mas semi mutilado. Desodorante. Visto a camiseta branca e a boxer. Ajeito o cabelo. Penduro a toalha. Pego o short e a camisa e saio do banheiro. Os coloco debaixo do travesseiro. Ligo o som ou o Bom Dia Brasil. Vou à cozinha, preparo e coloco na chapa o sanduíche de queijo minas, faço o Nescau e separo a granola, as frutas e o yogurte. Volto pro quarto. Perfume. Jeans. Meias. Sapato. Camisa Social. Perfume. O sanduíche tá pronto. Paro na cozinha e como assistindo a TV. Coloco a louça na pia com água. Escovo os dentes. Junto a carteira, o celular, as chaves e a mochila. Desligo a TV. Saio. Elevador. Bom dia. Fui.

2 comentários:

Luciana Campello disse...

Gente, do jeito que você escreve, parece que eu estava lá o tempo todo! rs Eu também molhava o chão do banheiro e finalmente aprendi a me secar dentro do box. E tenho uns rituais também que não consigo (ou nem quero) mudar ;-)

Gii disse...

kkkkkkk caraca isso eh muito engraçado!srrs Tbm perco a noção do tempo qndo estou lendo na privada rsrs

passerei aqui masi vezes p sorrir com suas histórias mirabolantes e tão cotidianas..ador isso!
bjus